segunda-feira, 25 de maio de 2009

Wien (3º dia)

Na real, este post não era pra existir. O plano era voltar cedo na segunda-feira e ir direto pro trabalho. Mas... (E sempre tem um "mas..."). Nosso trem quebrou. Três vezes. Pane elétrica.

Brincando nos trilhos do trem

Na primeira vez, estávamos a meia hora do destino e paramos no meio do nada. Sol a pino perto do meio-dia, calor infernal dentro do vagão e sem enrgia pra ligar o ar condicionado. Hell IS a bad place to be. Ninguém da tripulação falava inglês e ficávamos recebendo informações através de rumores. Depois de esperar muito tempo e de levar um cagaço achando que tinha um outro trem em rota de colisão, começamos a ser rebocados por uma outra locomotiva à impressionante velocidade de 5km/h!! Resumindo a história, essa locomotiva acabou quebrando e uma segunda que foi mandada também. Na última vez já estávamos quase em Budapest e estávamos tão de saco cheio que decidimos deixar o trem e encontrar outro jeito de chegar em casa, o que não foi difícil.

Deixando o trem pra trás

Mas... (Olhaí ele denovo). Sempre tem o bright side. Com esse tempo todo pra gastar e, mesmo tendo um livro interessante pra ler (atualemente "Zen and the Art of Motorcycle Maintenance"), a gente fica entediado e se obriga a fazer algo interessante. Com isso, acabamos conversando com pessoas legais pra caramba as quais nunca conheceríamos se não fosse esse problema: Andrew, novaiorquino, 'tava viajando sozinho porque seu parceiro teve que voltar às pressas por questões familiares; um casal de Brasília fazendo tour pela Europa; um trio de estudantes de Minnesotta - Kelly, Laura e Megan - que, se não fosse pelo inconfundível american accent passariam por austríacas sem problemas; Markus, um suiço "rock concert hunter" que namora uma brasileira, fala uns 7 idiomas e já foi em todos nos shows de todas as bandas que tu possa imaginar; enfim... Fomos então pro vagão restaurante brindar ao infortúnio!

video

Acabei perdendo o dia de trabalho por causa desse problema, mas em compensação, o fato de termos conhecido essa galera nos garantiu uma noite bacana com aulas de drinking games e um monte de histórias malucas pra compartilhar.

Um comentário:

  1. Vou perguntar pra Usaflex se tu faltou no trabalho quando tava sem carro.

    ResponderExcluir